domingo, 13 de abril de 2008

Qual o telefone do Céu?

Saudade a gente sente
Quero que alguém invente
Uma máquina do tempo presente
Que faça ao velho mundo voltar
Saudade de quem está longe
Mas estes ainda que monge
A gente pode encontrar
É só entrar no bicho de asas
E ir para casa visitar
Saudade a gente mata
Mas a quem não está na jogada
Como irei contatar
Preciso criar asas
E voando irei abraçar
A minha avó amada
Saudades terei de guardar

Um comentário:

Alexandre disse...

É verdade. Como eu queria saber este telefone, pois a saudade é forte e o pior: o bicho de asas não nos leva até ele. Achei muito bom este poema. "Saudades", esta palavra é dificil de achar uma tradução...Um beijo, Ale