quarta-feira, 16 de julho de 2008

Q ISSO ?

Ser único e fiel

Cujas vagas idéias

Enroscam na mente

Como se fosse serpente

Translúcida e pálida

Que gira no carrossel

Quem me dera saber

O que há em arder

No seu modo cruel

Que consome de mim

Uma parte inquieta

Que corrói, que desgasta

Trinca e na íntegra

Essa força intrínseca

Que de onde vem nem sei

Só sei que o pesar

É que me faz pensar

No seu modo de agir

E ao me coagir

Não gasta ensejos

Para me confortar

E dos meus anseios

Se ao menos eu soubesse!

2 comentários:

Alexandre disse...

Até que enfim você escreveu...Aliás, você está perfeita nos poemas....está ótima, parabéns!!!

Coloque mais textos...

Um beijo, Alexandre

Marcos Forte disse...

Olha Daia, admiro pessoas que conseguem escrever poemas...

E como disse o Alexandre, você está no caminho certo.

Bjs,

Marcão